• denuncias
  • peticionamento
  • Mediação
  • mov procedimentos
  • autenticidade de documentos
  • administracao publica
  • fraudes trabalhistas
  • liberdade sindical
  • meio ambiente
  • promocao igualdade
  • trabalho escravo
  • trabalho infantil
  • trabalho portuario
  • Não categorizado
  • JBS firma acordo com MPT e pagará indenização de R$ 200 mil; valor será revertido à comunidade de Pontes e Lacerda
  • gefron
  • rafael paint
  • pastoral 2
  • agrotoxico
  • Campanha criada pela ANPT quer a valorização do Ministério Público do Trabalho
  • MPT participa de seminário em Alta Floresta e debate direitos das mulheres
  • Empregado submetido a condições degradantes de trabalho por mais de 10 anos consegue reparação na Justiça
  • MPT oferece curso a distância gratuito para conselheiros tutelares
  • MPT-MT tem novo horário de funcionamento
  • Parceria entre MPT e Sesp viabiliza pontos de monitoramento com câmeras OCR para intensificar fiscalização na fronteira
  • MPT lança Manual de Boas Práticas para promoção de igualdade de gênero no trabalho
  • MPT quer garantir cumprimento de normas de saúde e segurança em supermercados de Cuiabá e VG
  • MPT em Mato Grosso tem novo procurador-chefe
  • Parceria entre MPT e Escritório da ONU viabilizará reforma do Centro de Pastoral para Migrantes de Mato Grosso
  • MPT e IFMT firmam parceria para implantar projeto de fazenda agroecológica
  • Grupo econômico familiar de MT é condenado a pagar R$ 6 milhões por trabalho escravo

JBS firma acordo com MPT e pagará indenização de R$ 200 mil; valor será revertido à comunidade de Pontes e Lacerda

13/12/2017 - A JBS S/A firmou acordo com o Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) e se comprometeu a pagar indenização por danos morais coletivos no valor de R$ 200 mil. A empresa descumpriu normas de saúde e segurança do trabalho na unidade de Pontes e Lacerda, distante 445 km de Cuiabá. O acordo foi homologado no dia 15 de novembro pela juíza Michelle Trombini Saliba, titular da Vara do Trabalho da cidade.

Antes da assinatura do acordo, em setembro, o MPT obteve liminar contra o frigorífico para coibir a violação a normas trabalhistas. Obrigações semelhantes àquelas que foram impostas à empresa na liminar estão contempladas agora no acordo, com cláusulas prevendo multas de 4 a 7 mil reais. Essas multas poderão ser aplicadas até mensalmente, em casos de constatação de descumprimento.

Entre as obrigações a serem observadas pela multinacional estão a emissão da Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT) quando constatada a ocorrência ou o agravamento de doenças ocupacionais, e a criação e a manutenção do Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho (SESMT), com o respectivo registro no órgão regional do Ministério do Trabalho.
 
O SESMT é responsável, entre outras funções, pela orientação técnica quanto ao cumprimento das normas de saúde e segurança do Ministério do Trabalho e pela análise e registro de todos os acidentes ocorridos na empresa, sendo composto por médicos do trabalho, engenheiros de segurança do trabalho, técnicos em segurança do trabalho, enfermeiros do trabalho e auxiliares ou técnicos de enfermagem do trabalho, conforme a quantidade de empregados do estabelecimento e o grau de risco da atividade.
 
Além disso, a unidade deverá discriminar, no Relatório Anual do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO), o número e a duração de afastamentos do trabalho; bem como constituir e manter em regular funcionamento a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), promovendo a realização de reuniões mensais.
 
O montante pago a título de indenização por danos morais coletivos e os demais valores decorrentes de eventuais multas aplicadas pelo não cumprimento de obrigações serão revertidos, por indicação do MPT, a projetos sociais, entidades sem fins lucrativos e/ou órgãos públicos em atuação no município de Pontes e Lacerda.
 
O MPT pontua que os pedidos de inscrição deverão ser instruídos com os documentos exigidos pelo Edital nº 01/2012, encaminhados por representante legalmente habilitado e endereçados à Procuradoria Regional do Trabalho da 23ª Região.
 
Cadastro
 
O cadastro de projetos e entidades, como instrumento de transparência e controle de demandas e ações, não confere direito ao recebimento de destinações, que serão definidas e realizadas pelo Procurador do Ministério Público do Trabalho oficiante no respectivo procedimento, com aprovação do Juiz do Trabalho no processo judicial correspondente.
 
Os projetos sociais a serem apresentados ficarão arquivados para implementação gradativa e poderão englobar: aquisição de equipamentos, veículos e produtos e materiais educativos, didático-pedagógicos ou de caráter profissionalizante; produção de cartilhas, revistas ou material de cunho educativo, promocional, pedagógico ou de conscientização; construção, reforma ou adaptação de imóvel; realização de cursos ou treinamentos de natureza educativa ou profissionalizante; realização de campanha educativa ou de conscientização; prestação de serviços de interesse público ou social; além de outros bens e materiais diversos que atendam às necessidade e à situação concreta das entidades.

Processo 0000412-74.2017.5.23.0096

Informações: Ministério Público do Trabalho (MPT-MT)

Foto de capa: Setor de Perícias/MPT-MT

Contato: (65) 3613-9165 | 9255-9338

Site: www.prt23.mpt.mp.br | Twitter: @MPT_MT | Facebook: Ministério-Público-do-Trabalho-em-Mato-Grosso

Imprimir

  • banner abnt
  • banner transparencia
  • banner pcdlegal
  • banner mptambiental
  • banner trabalholegal
  • banner radio
  • Portal de Direitos Coletivos